DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM.

Regina Lacerda

Segundo Topczewski (2002) a aprendizagem pode ser traduzida com a capacidade e a possibilidade que as pessoas têm para perceber, conhecer, compreender e reter na memória as informações obtidas, fazendo com que cada individuo tenha um estilo próprio de aprendizagem.

Uns fazem uso dos receptores visuais (imagens, palavras escritas) outros auditivos, outros cenestésicos etc.

A aprendizagem modifica a estrutura física cerebral estabelecendo conexões de acordo com as mais diferentes situações de aprendizagem, reorganizando-se de forma contínua e flexível.

Dificuldade de aprender é diferente de transtorno de aprendizagem. Alguns pais confundem esses conceitos, o que pode levar a procedimentos que prejudicam o bom desenvolvimento da criança equivocados

 

A criança/Adolescente não aprende como seus colegas! Como muitos dizem, ela não consegue “acompanhar” a turma. Tem uma dificuldade de aprendizagem, termo genérico para dizer que ele apresenta defasagem para adquirir uma ou mais competências, mas sem uma causa evidente. A criança /Adolescente está com algum problema e é preciso pesquisar os motivos.

 

Conversando com pais, familiares, especialistas, normalmente se chega a duas possibilidades. A primeira é de que a criança apresenta dificuldade de aprendizagem causada por algum acontecimento ou situação frustrante, como a mudança de escola, troca de professor, chegada de um irmão, separação dos pais, morte de uma pessoa querida etc.

 

O processo da aprendizagem implica componentes de vários eixos de estrutura: afetiva, cognitiva, motor, social, econômico e político. Qualquer fator que venha alterar o curso natural desse processo resultará em um problema que afetará a aprendizagem.

Vejamos então onde as dificuldades generalizadas de aprendizagem surgem:

  • Na escola;
  • Na família (desorganização, excesso de atividades extracurricular, pais muitos ou poucos exigentes etc.);
  • Efeitos colaterais de medicamentos que causam hiperatividade ou sonolência, diminuindo a atenção da criança;
  • Problemas emocionais. Os chamados transtornos reativos

(falecimento de entes queridos, ausências prolongadas dos pais/cuidadores, separação conjugal etc.).

 

As principais características das dificuldades de aprendizagem são:

  • O desempenho não é compatível com a capacidade cognitiva da criança ou do adolescente;
  • A tentativa, o esforço em superar a Dificuldade de Aprendizagem pode gerar auto estima negativa;
  • Diagnóstico cedo para evitar consequências futuras.

 

Quando não há fatores de desordens emocionais, segundo os estudos, a família pode ser um dos principais fatores.

É importante saber que, por trás do cérebro que aprende, existe alguém que tem um ritmo próprio e um estilo diferente de aprender e que como tal precisa ser respeitado em sua individualidade.

 

DICA: É preciso encorajar as crianças e adolescentes no seu processo de aprendizagem e principalmente oferecer ajuda profissional para diagnosticar o problema.

 

O diagnóstico quanto mais cedo, mais feliz será sua criança e adolescente no processo da aprendizagem, evitando consequências futuras.

Se você precisa dessa ajuda com sua criança ou adolescente! Nos procure! Agende uma consulta, e vamos conversar!