CONCENTRAÇÃO.

Segunda dica: Meditação

Concentração “a capacidade de manter-se atento por período contínuo e consistente de tempo.” Manter o foco no que está fazendo. Concentração é trazer toda sua energia para focá-la em um ponto determinado.

Quando sua criança ou adolescente senta para estudar e a todo o momento ele pega o celular, responde um amigo, passa mensagem para outro, estamos falando de falta de concentração. Foco, estar por inteiro na atividade.

Se você está lendo um livro, e lembra que precisa ligar pra alguém ou colocar algo no lugar. Estamos falando de falta de concentração. Foco, estar por inteiro na atividade.

E o que a atenção tem haver com a concentração?

A atenção é a capacidade de perceber os detalhes da atividade que você faz no momento. Por exemplo, você conseguiu prestar atenção em tudo que você leu até agora neste texto? Isso é estar atento.

Atenção sustentada: a habilidade de manter uma resposta estável durante uma atividade incessante e repetitiva, a capacidade de manter-se atento por período contínuo e consistente de tempo.  Mais ligada a concentração.

Atenção seletiva. Ela se refere ao ato consciente de se concentrar e evitar distrações de estímulos tanto externos, como barulhos, quanto internos, como pensamentos desnecessários. Um bom exemplo de atenção seletiva é conseguir se concentrar na voz do professor em uma sala de aula lotada e barulhenta.

Atenção momentânea ou espontânea: relacionado o nosso instinto e aos nossos sentimentos. Você está andando na rua um carro buzina ao seu lado, quase que fatalmente seu olhar se voltará para ele. Quem tem essa atenção mais aguçada tende a sentir mais prejuízo em sua concentração. Perde a seletividade e ficará atento a qualquer barulhinho que acontece a sua volta. E com menos rendimentos nas tarefas.

Segunda dica: meditação

A meditação é tão benéfica que algumas escolas têm apostado nela para acalmar os alunos e melhorar a qualidade de vida deles

Ensinar seu filho a se conectar com o mundo interior pode ser mais fácil do que você imagina: combate o estresse, alivia a ansiedade, melhorar o sono, reduz a agressividade, relaxa física e mentalmente, melhora a concentração, minimiza os sintomas de TDAH e ajuda a lidar com sentimentos como frustração, medo e raiva.

É claro que é preciso bom-senso: não espere que uma criança pequena vá ficar 10 minutos paradinha, em silêncio. É preciso respeitar a maturidade emocional dela e não forçar uma situação.  Se sua criança já consegue acompanhar uma história com concentração, elas podem ser usadas para introduzir a meditação de forma lúdica.

Crie um ambiente mágico e lúdico.  “As histórias conversam com as emoções e os sentimentos da criança”, um passeio no parque para contemplar a natureza, brincar com uma ampulheta e observar a areia caindo, colorir mandalas, escutar uma história e tentar imaginar que é parte dela fazendo uma visualização, colocar o bichinho de pelúcia favorito sobre o peito e observar como ele se movimenta enquanto respiramos… Tudo isso vale!

Quando notar que sua criança seu adolescente ou você apresenta dificuldade em deixar de lado pequenos estímulos e focar na atividade, nos procure. Agende sua consulta e vamos conversar sobre isso.