ORIENTAÇÃO VOCACIONAL

Conflitos, indecisão, falta de orientação adequada são sentimento naturais na vida das pessoas, em determinados momentos, principalmente quando é preciso tomar uma decisão que poderá definir o futuro. É o caso do jovem ao escolher sua profissão.

A criança que já exercitava suas habilidades, nas brincadeiras através de jogos e imitação, passando muitas vezes por sua mãe trabalhando na empresa, seu pais advogando, seu dentista, seu pediatra etc. Agora cresceu e precisa definir sua escolha.

Por vezes as perguntas bombardeiam: Escolher uma profissão porque dá status? `Porque oferece salários altos? Para ser feliz?

Um jovem que não está motivado, não desenvolverá as devidas competências que o mercado exige. Então é primordial uma escolha profissional responsável, dentro de seus interesses e suas habilidades- nossa primeira dica: quem sou eu?

A partir do autoconhecimento do jovem ele terá pistas para localizar a área do conhecimento que tem mais afinidade. (saúde, educação, social, cultura, moda, comunicação, tecnologia etc.) A partir daí nossa segunda dica:  investigue e conheça as profissões

É interessante eliminar os mitos e conhecer a verdadeira realidade das profissões. Procure saber o que aquele profissional faz no seu dia a dia, qual a sua área de atuação,em que ambiente ele trabalha, como está o mercado para a profissão, como é o curso, etc. também importante como será o dia a dia na vida universitária e profissional. Apoie seu jovem nessa busca, dê espaço a ele para conversar com você. Mas lembre-se  a decisão deverá ser dele.

E assim, aquela brincadeira que pais, parentes, amigos, responsáveis faziam – O que você vai ser quando crescer? –  vai se tornando cada vez mais realidade.