A Secretaria de Indústria, Comércio e Segurança de Cataguases dá boas-vindas ao novo secretário, Alex Carvalho na segunda-feira, 13, após a saída do ex-secretário, Ângelo Cirino.  Ele trabalha como secretário particular do atual prefeito, Cesinha Samor, que o indicou para ocupar o cargo.

Alex é  formado em Direito pela Universidade Iguaçu, Unig Itaperuna e pós graduado em Direito Público e Gestão Pública pela Plenarius Cursos Jurídicos Integrados, de Juíz de Fora. Tem experiência política, foi Coordenador Regional do PCdoB desde 2002 e trabalhou na esfera Federal ao lado do atual deputado Wadson Ribeiro, no Ministério dos Esportes. “Hoje, fui convidado para exercer o cargo de secretário pelo prefeito, e, de manhã, ainda trabalho como secretário particular dele”, conta.

Além de dar continuidade às atividades da gestão anterior, a secretaria tem novos planos. “Estamos, inclusive, com a ideia de elaborar um projeto de lei para mudar o nome da pasta para ‘Secretaria de Desenvolvimento Econômico’, é mais abrangente para o nosso propósito”, revela Carvalho.

O primeiro passo para saber como lidar daqui pra frente, segundo ele, é levantar um diagnóstico do município. “Ouvir os pequenos e grandes empresários, as indústrias e as pessoas envolvidas no cenário industrial e comercial, os próprios empregados. Isso significa conhecer a pasta, para depois agir”, explica.

Outra expectativa do recém-chegado à casa é estimular o Microempreendedor individual.“O MEI é uma saída para o segundo passo da gestão: incentivar a regulamentação das empresas no município. O próprio Sine, por exemplo, quando identifica uma vaga de emprego, não pode oferta-la oficialmente se a empresa não estiver com a documentação em dia”, declara o secretário.

Em cenário de crise econômica mundial, Alex observa: “Cataguases tem demonstrado considerável evolução nos últimos meses. Um exemplo disso foi a abertura de novas lojas dos supermercados Morais e Bahamas, ambas concorrentes, que se adaptaram e enxergaram viável a possibilidade de expansão. Não se deve deixar um recesso econômico impedir esse processo. A crise é reflexo no mundo todo e é temporária”.

Outra conquista que faz parte dessa evolução, segundo Carvalho, foi a aprovação do Ministério da Educação (MEC) para a abertura do IFET –  IF Sudeste MG – na cidade. “Uma universidade federal forma mão-de-obra qualificada, o que atrai empresários e cria novos investimentos”, finaliza.