Eu e meu marido estamos desempregados. Ele já está participando de alguns processos de recolocação, mas as coisas para mim estão mais difíceis. Ainda tenho uma parte do que recebi de indenização do meu último emprego e estamos pensando em usar esse dinheiro para começar um negócio com vendas de produtos cosméticos. O que acha disso? Quais cuidados devo ter?

Maria Juliana – Betim / MG

 

Maria Juliana, muitos brasileiros estão seguindo na mesma direção que você. Com poucas alternativas no mercado de trabalho, iniciar um negócio é uma saída cada vez mais procurada e a maioria das pessoas começa vendendo algum tipo de produto. Independente da área na qual você quer empreender, é importante avaliar alguns pontos antes de tomar a decisão definitiva, pois abrir um negócio significa fazer um investimento. Veja a seguir algumas questões fundamentais nessa avaliação:

 

– Aptidão para o negócio: No seu caso, já avaliou se você tem o perfil para trabalhar com vendas? Essa é uma arte que se “encaixa” melhor com pessoas mais comunicativas e proativas. Foque nas suas habilidades.

– Calcule os riscos e o retorno do investimento: Elabore um plano de negócios. É importante conhecer seus concorrentes e clientes. Faça algumas projeções de receitas e despesas. Assim você poderá calcular o provável retorno do seu investimento.

– Rede de contatos: Quanto mais pessoas você conhecer, mais fácil será transformar uma parte delas em seus futuros clientes.

– Relevância do produto: Defina seu mercado de atuação. Um bom exercício para isso é buscar um produto que se encaixe no seu estilo de vida e de seus amigos. De nada adianta escolher um bom produto, mas que esteja fora da realidade financeira dos seus possíveis clientes. Além disso, não determine o seu produto guiada exclusivamente pelo seu gosto pessoal. Pense nas necessidades do seu cliente.

– Organize as informações: Registre seus estoques e todos os gastos com o negócio, antes de iniciar a comercialização. Anote todas as vendas feitas e os dados dos clientes, pois essas informações lhe ajudarão a controlar as finanças e lhe permitirão adotar as ações de marketing adequadas para o seu público.

– Controle as contas: Tente conciliar o prazo de pagamento dado aos seus clientes com o prazo concedido pelo seu fornecedor. Não considere o valor de suas vendas como o seu lucro. Lembre-se que você tem que pagar todos os gastos do negócio (fornecedor, combustível, material de divulgação) com o valor obtido com as vendas e, só depois disso, deve considerar o lucro.

– Faça a gestão do seu estoque: O estoque não precisa ser grande a ponto de comprometer todo o seu capital, e nem muito pequeno, pois dificultará suas vendas.

– Formalize seu negócio: Assim que seu negócio der os primeiros passos, é importante formalizá-lo. O registro como Micro empreendedor Individual – MEI pode ser uma boa alternativa. Isso lhe trará uma série de benefícios.

 

Planeje bons hábitos para 2016.

Invista em sua educação financeira.

 

Solicite um de nossos cursos e/ou palestras em sua empresa
contato pelo e-mail: carloseduardo@harpiafinanceiro.com.br

Carlos Eduardo Freitas Costa – Bacharel em Economia pela UFMG, especialista em Marketing pela CEPEDERH – UNA, em Finanças Empresarias pela FVG e mestre em Administração pela PUC Minas/FUndação Dom Cabral. Professor, colunista e escritor.