O entretenimento vem se modificando ao longo da evolução social e tecnológica e, por consequências do desenvolvimento, vem se tornando cada vez mais dinâmico.
Jogos on line, blogs, vlogs e redes sociais criam um novo estilo de vida e fazem tornar público o que era, antes, comum do ambiente privado; tais como: rotinas de família, alimentos, partes da casa, passeios, preferências e sentimentos.

A exposição vem se tornando algo cada vez mais natural. O que antes era o valor do gueto na cultura, hoje ganha maior amplitude, desmistificando espaços físicos e atraindo pessoas por afinidades, onde o indivíduo se reconhece e passa a ser parte de um todo por meio do cenário digital.

 
E a grande conquista da era digital é o PODER, que potencializa e dissemina novos líderes. Basta ter ideias e conexão.

 
Tudo se tornou mais fácil. E, como em qualquer momento de mudança, ainda vive-se certo caos, que conta com um seleto filtro, pois a atratividade e variedade de entretenimento são as grandes vilãs do tempo, e podem destruir sonhos. Mas isso não se deve à tecnologia, e sim, ao comportamento viciante permitido.

 
Existe uma frase que diz “tudo é permitido, mas nem tudo nos convém”. E o ambiente digital vem possibilitar um cenário mais esclarecido de pessoas que se reconhecem e passam a se entender por meio do outro. Um local de informações mais fáceis, onde tudo pode ser alcançado, conhecimentos podem ser construídos por um acesso de modo mais rápido, sem hora marcada, e mais barato para se pesquisar, estudar, entender e SER.

 
E, com isso, cria-se um consumidor embutido de ferramentas, o que o torna cada vez mais exigente e crítico, modificando toda uma era de comunicação “Empresa | Cliente” que, além de ser feita com canal de feedback, também passa a ter um tratamento cada vez mais personalizado por meio do marketing direto.
As empresas hoje têm o desafio de encantar em massa (já que a opinião do outro conta), dialogar (o cliente quer respostas) e satisfazer individualmente (cada consumidor demarca seu espaço e interesses).

Um abraço!
Paz, bem, progresso e muita alegria.

Monique Gardingo