2016 é ano de eleições municipais, e, em Cataguases já se apresentaram abertamente 06 pré candidatos: Cesinha Samor, Willian Lobo, Antônio lage, José Eduardo Machado, Fernando Pacheco e Washington Magalhães. Uma diversidade de perfis e experiências importantes que vem com um projeto de elevar nosso município.
Cataguases não tem histórico de reeleição e é uma cidade que viveu com foco de cidade industrial e que hoje vem buscando nova identidade entre a industria, a cultura e o comércio. Uma cidade com potencial turístico não explorado e de muitos artistas. Uma cidade com sede de desenvolvimento e de um povo de fé, sonhador e acolhedor.
Cataguases é uma terra de gente boa e que assim como os brasileiros quer paz, trabalho, alimento, saúde, segurança e progresso.
Nós do Jornal Gentte SA fizemos essa coluna para o eleitor, e esta em sua segunda edição com o objetivo de apresentar as ideias, ideologias e soluções dos políticos. Todos os pré candidatos foram convidados, e acima os depoimentos de quem interessou em participar. Em nova oportunidade abriremos a palavra com novo tema. Agradecemos os participantes e desejamos boa sorte a todos!

Politica Jose Eduardo

Hoje, os manifestantes estão indo às ruas pela indignação e frustração diante do comportamento e dos resultados do governo e também por amor ao Brasil. Mas esta dimensão do espírito patriótico, só será explicitado quando essas manifestações forem feitas pelo Brasil, independente de quem governa. Manifestações por uma economia eficiente e com compromissos com o meio ambiente e a distribuição de renda; por um sistema educacional nacional que assegure a cada criança uma escola com qualidade, independente da renda dos pais e da cidade onde mora; um sistema de saúde que elimine doenças endêmicas, atenda aos doentes, faça funcionar os hospitais; e cidades com mobilidade eficiente, como pediam as manifestações iniciais de junho 2013 e que levaram às gigantescas manifestações de hoje.

O Brasil precisa que o povo, por amor ao Brasil, vote corretamente e façam manifestações por uma revolução nas prioridades e não apenas pelo impeachment.

 

 

Politica Fernando Pacheco

O momento atual do país é de profunda crise política, acompanhada de uma desaceleração econômica proveniente da queda das commodities (petróleo e minério). Institucionalmente, podemos perceber que alguns poderes da República (Executivo e Judiciário) estão mergulhados e envolvidos num processo de corrupção e irregularidades sem precedentes na história deste país.  Tais situações combinadas macularam o relacionamento e a condição de credibilidade que as instituições necessitam, promovendo precariedade e prejuízos na parte econômica (pelo descrédito internacional) além da insegurança política no cenário nacional. A solução para estes problemas seriam: punições compatíveis com o crime cometido, sem exceções, além de melhores escolha dos eleitores no momento de uma eleição.

 

 

Politica Cesinha

Entendo que estamos vivendo um momento complicado, pois há tentativas de destituir um poder que foi adquirido pela lei da democracia que é a eleição presidencial. E pelo que entendo e observo não há embasamento jurídico para tal situação, pois não há crime de responsabilidade.
A oposição não se conformou com a derrota das urnas de 2014 e abraçou a ideia de impeachment ferindo toda a história de democracia do país adquirida depois da constituição de 1988.
Desde quando a presidente assumiu de forma legítima vem sofrendo ataques, principalmente do presidente da câmara que tem todo o histórico e comprovações de delito e não chegou a ser punido nem tão atacado.
Mesmo com todo esse cenário de tentativa de golpe politico, a solução que vejo e tenho fé que venha concretizar é que a Dilma possa voltar a governar num cenário positivo, podendo realizar tudo que planejou para o Brasil; e eu como politico e cidadão acredito em seu projeto de olhar pelo povo e pelo progresso.

 

 

Politica Antonio Lage

O Brasil vive um momento em que é difícil para a gente analisar o que está acontecendo devido à velocidade dos fatos. O que escrevo agora pode ficar ultrapassado no momento seguinte. Mas acompanho com muita atenção todos os fatos e estou torcendo para que o país retome o mais depressa possível o caminho do desen-volvimento. Nosso povo não merece sofrer mais com a recessão, o desemprego e a inflação provocadas por políticos que não entendem de administração e estão levando o país para o fundo do poço. Por isso proponho que precisamos de representantes que saibam administrar bem os recursos públicos para evitar que o nosso dinheiro seja mal aplicado.
A crise vivida pelo país hoje nada mais é do que isso: gastaram mais do que tinham e agora não tem mais dinheiro nem para honrar os compromissos essenciais. Se fosse um administrador competente nada disso estaria acontecendo e a situação do país estaria muito melhor.