Por, Regina Lacerda.

Para alguns poucos adolescentes, a escolha da profissão é algo muito natural, parece que já nasceram sabendo que carreira seguir e não possuem dúvidas quanto a isso.

Mas esta não é a realidade da maioria dos adolescentes. A ansiedade e incerteza fazem parte desse caminho no momento de escolher qual curso fazer na faculdade ou durante a vida profissional. Muitos adolescentes acabam entrando na faculdade sem refletir muito sobre o curso escolhido.

Essa decisão deve ser refletida com seu jovem com base no autoconhecimento, por isso nossa primeira dica: Quem sou eu? Meus pontos fortes, meus temores, minhas crenças, meus valores etc.

Em seguida a busca de informações sobre as profissões- segunda dica: Investigue e conheça as profissões- com base na área de conhecimento que seu jovem tem afinidade, procure apoia-lo no conhecimento da profissão que escolheu.

Não é raro encontrar profissionais descontentes com sua carreira atual e sem saber se continuam investindo na profissão escolhida se  ou começam algo completamente novo.

Sabemos que na hora da escolha, a de se pensar no mercado de trabalho, e porque não no financeiro, mas há algo mais precioso: Terceira dica: Ser feliz!

A felicidade é uma sensação de bem estar e contentamento. Momento de satisfação, onde o “indivíduo se sente plenamente realizado”.

O psiquiatra Sigmund Fred defendia a que “todo indivíduo é movido pela busca da felicidade”. Se pensarmos que a escolha da profissão é só o começo do resto da vida de seu jovem, você poderá apoiar sem pressionar e respeitando o seu tempo.

E ai novamente vale a reflexão junto ao seu jovem: O que é ser feliz?

Ensine a seu jovem que o salário hoje serve como indicação e não como escolha. Quem trabalha com prazer e não por obrigação tem melhores chances. Ensine-o  ser prudente com a avalição do salário mas também com a realização pessoal.

Que tal ganhar um bom salário fazendo o que gosta e sendo feliz!

Ser feliz

 Esta deve ser a prioridade do adolescente enquanto busca informações sobre seu futuro profissional. Portanto pressionar a fazer a escolha não ajudará. Respeitar o tempo de cada pessoa e apoiar a escolha é um bom começo para o sucesso futuro, pois a escolha da profissão é só o começo do resto da vida de um jovem e isso é muito sério.

  • Para responder a questão levantada no início deste artigo: É possível escolher a profissão certa já na adolescência? Atrevo-me a concluir que em alguns casos sim, se o adolescente for bem orientado para ter clareza sobre sua escolha e se tiver o apoio da família. Do contrário, o melhor é dar tempo ao tempo e deixar a experiência confirmar a aptidão deste jovem.