Satish Kumar abdicou das liberdades da infância para se tornar monge jainista aos nove anos

Deixou a vida monástica aos 18 para seguir os ensinamentos de Gandhi. Aos 25, foi recebido por chefes de Estado ao peregrinar da Índia aos Estados Unidos em protesto contra as armas nucleares. Hoje, aos 80 anos, vem lançar no Brasil seu livro “Solo, Alma, Sociedade: uma nova tríade para nossos tempos” (Editora Palas Athena).
O líder pacifista virou guru da sustentabilidade quando percebeu que “a maior guerra humana era contra a Natureza”, como ele conta em suas conversas ao pé da lareira do Schumacher College, escola holística de pós-graduação que ele fundou em 1991 para difundir o aprendizado com a natureza – e não apenas sobre ela. Desde então, seus livros e palestras entrelaçam pacifismo, sustentabilidade e espiritualidade em uma visão de mundo inerente à sua biografia.
A educação holística praticada no Schumacher College virou referência mundial e os brasileiros compõem a nacionalidade que mais se inscreve nos cursos – depois dos próprios ingleses. A grande procura motivou em 2014 a criação da Escola Schumacher Brasil. O modelo aposta que qualquer transformação deve engajar “mãos, mente e coração”. Por isso, o conselho de Satish para quem queira mudar o mundo é “tire um tempo para assar seu pão.”
Em tempos de múltiplas crises globais, a fala de Satish traz respostas para a transição a um modelo de desenvolvimento mais justo e sustentável. Sua visão clara não esconde os desafios.  “Viver com simplicidade não é simples. A vida moderna é complicada e caótica. Para viver de maneira simples, nós precisamos de criatividade e atenção a cada dia das nossas vidas”, ele aponta em suas palestras.
Satish Kumar participa das atividades da Escola Schumacher Brasil entre os dias 9 e 16 de março, em São Paulo. A chance para quem quiser ouvi-lo será no dia 15, quando ele lança seu livro em palestra aberta ao público, em local a ser divulgado pelo site da Escola Schumacher Brasil.