A preocupação com a proliferação do mosquito Aedes Aegypti não é novidade para os brasileiros, principalmente das cidades mineiras, cariocas e paulistas. O mosquito que transmite a dengue, doença que já foi grande preocupação nos estados do sudeste e é motivo de constante alerta nas unidades de saúde de todo o país, é muito conhecido da população. Entretanto, um surto de febre amarela (doença também transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti) vem acontecendo nos estados de Minas Gerais, Espirito Santo e São Paulo está assustando a população desde o início do ano. Em 2017, a febre amarela já fez maior número de vítimas da década. O Brasil tem 396 casos confirmados de febre amarela, de acordo com boletim do Ministério da Saúde. Eles são parte das 1.538 notificações recebidas pelos órgãos de saúde dos estados, sendo que 958 suspeitas ainda estão sob investigação e outras 184 já foram descartadas.
Os sintomas iniciais da febre amarela são parecidos com os sintomas da dengue: febre, dores no corpo, tonturas, mal-estar geral, náuseas e vômitos. Se forem observados estes sintomas, é importante procurar um pronto-socorro imediatamente e não se aconselha tomar medicamentos por conta própria, pois há o risco do paciente evoluir para a fase tóxica da doença que possui sintomas mais fortes como sangramentos pelas mucosas, convulsões e até problemas cardíacos. Se você apresentar qualquer desses sintomas, procure imediatamente ajuda médica.
Na região, alguns casos de mortes de macacos – que são hospedeiros da doença, assim como os humanos – estão sendo investigados e a suspeita é que tenham contraído a febre amarela. A transmissão desta doença ocorre apenas por meio da picada do mosquito e pode ser evitada por meio de vacinação, que é gratuita e acontece nos postos de saúde.

Em Cataguases, a vacinação está acontecendo no seguinte local:
Centro de Vacinação – Telefone: 3429-2656
Endereço: Pracinha da Vila Tereza
Horários: De 7:30h às 16:30h
Lembre-se sempre de não deixar água parada para evitar que o Aedes Aegypti se prolifere, não ignore os sintomas e vacine-se! É muito importante que toda a população se mobilize para acabar com o surto e evitar que doenças como estas levem vidas.