Quem é Alarico ?(nome, história e formação).

 

Sou natural de Cataguases (MG), casado há 32 anos, 02 filhas, trabalhei no Banco do Brasil S.A., por quase 31 anos, onde me aposentei, após exercer várias funções em diversas regiões do país. Atualmente colaboro com minha filha e esposa na Possani Viagens e Turismo em Cataguases (MG). Sou formado em administração de empresas, com especialização em gestão de pessoas e desenvolvimento gerencial.

 

Sua grande experiência tem relação com a realização de sonhos de uns e pesadelo de muitos. Comente um pouco sobre a questão de financiamentos e renegociação de dívidas.

 

Nos meus últimos quatorze anos no BB, atuei na área de negociação de dívidas. Posso dizer que vi muitos sonhos se tornarem pesadelos, pesadelos se tornarem sonhos novamente, e, que, com perseverança, paciência e persistência, agindo com foco, uma realidade de tranquilidade e de equilíbrio pode ser alcançada.Na vida, nós nunca estamos prontos para tudo. Existem vários fatores que influenciam de forma positiva ou negativa, para mais ou par menos, tanto na vida pessoal e, principalmente, na vida das empresas. Quando pegamos um empréstimo/financiamento, temos em mente uma programação de pagamento das parcelas de capital, dos juros e das garantias. Só que as vezes essa programação é afetada, por algum motivo, seja uma mudança na economia, a entrada de um concorrente, uma catástrofe natural, etc.; Então é hora de rever o seu plano de negócio e não demorar muito a buscar uma renegociação de seus financiamentos, de forma a evitar o crescimento do saldo devedor com os encargos de inadimplemento, que são muito mais elevados que os encargos de normalidade do contrato.

 

Diante de sua experiência, qual o melhor caminho e momento para se buscar um financiamento.

 
O melhor caminho é sempre através das instituições financeiras (bancos, cooperativas de crédito, financeiras, etc.). Quanto ao melhor momento, é na hora que você precisa, de preferência observando o seu plano de negócio, de curto, de médio e de longo prazo, vai depender para o que você precisa do recurso. Existem três tipos básicos de crédito:
Crédito de Custeio – Ex: capital de giro (curto prazo);
Crédito de Comercialização – Ex: desconto de título (médio prazo);
Crédito de Investimento – Ex: financiamento de veículo (longo prazo).

 

Quando se deve evitar.

 
A questão não é o quando evitar, e sim, evitar a destinação equivocada do recurso. Um crédito de custeio é mais caro do que um crédito de investimento, por isso, se a intenção é comprar um maquinário, um balcão, uma moto pra entrega, etc.; o correto é buscar recursos de investimento e não capital de giro, para que o sonho não se torne um pesadelo.

 

Quais suas orientações para quem precisa buscar aporte financeiro e como se preparar?

 
Independente do porte da empresa é avaliar a sua capacidade de pagamento, reservando uma margem de segurança, analisando seu histórico de faturamento e rentabilidade, de forma a buscar uma boa projeção dentro do cenário atual e futuro do seu mercado e da economia como um todo.

 

 

Estamos num momento em que se fala muito de crise, sugerindo que o ano de 2016 pode ser ainda pior. Qual a sua visão?

 
Os grandes saltos da humanidade foram dados nas épocas de crise. Se ficarmos parados esperando 2016, aí, certamente vai ficar pior . Depende de cada um e de todos nós ao mesmo tempo. O momento requer um olhar mais crítico, aperto no cinto, sem parar e muito menos voltar. Já houve crises piores.

 

 

Deixe suas dicas e orientações finais.

 
Não podemos nos intimidar com o momento atual, vamos continuar trabalhando com os riscos do negócio e nunca com as incertezas. Os riscos nós podemos calcular com base em dados históricos, possibilitando caminhar com relativa segurança. Bons negócios e sucesso!!!