Cal Coimbracal

Escritora sobre Educação e
Saúde Mental Infantil .
Doutora em Fonoaudiologia e Psicóloga .

Está chegando o dia das crianças. Os pais aguardando esse momento com alegria, as crianças com ansiedade e as lojas a postos para recebê-los. A responsabilidade de vocês pais é fundamental para cultivar a inteligência e a felicidade em seus filhos. Ao brincar, eles estão desenvolvendo suas habilidades cognitivas, emocionais e sociais. Aproveitem este tempo com qualidade para que a criança viva sua vida vislumbrando um futuro promissor, seja na relação familiar, social e profissional.

Bem, algumas questões para vocês refletirem:

  1. Sem brinquedo adequado não há evolução saudável

O brinquedo é para a criança um instrumento de evolução e de prazer, que precisa ser oferecido à criança na intenção de:  Instigar sua curiosidade, explorar os movimentos dos objetos e proporcionar prazer ao brincar.

  1. Por que brincar?

O efeito da brincadeira envolve uma gama de intenções, impulsos, aquisição de conhecimentos, motricidade e emoções, que estão presentes enquanto a criança brinca. Quando ela pega para si um brinquedo, todas as atividades necessárias à evolução estão ali. Há interação perfeita no processo evolutivo, que marca suas experiências para toda vida.

c)   Onde a criança vai brincar?

O ambiente deve ser tranquilo para que ela sinta prazer em brincar. O momento precisa ser dedicado exclusivamente a ela. O excesso de estímulos prejudica, consideravelmente, seu comportamento. Por favor, não derramem sobre a criança uma infinidade de brinquedos. Ela não vai conseguir entender essa quantidade toda em cima dela. Imagine se um bebê de um ano pode ter concentração para dar conta de tantos brinquedos estimulantes, seja visual, auditivo, motor e tátil, ao mesmo tempo?  O adulto consegue essa proeza?

d)   Com quem a criança vai brincar?

O adulto é o facilitador do crescimento global da criança. Nesse desenvolvimento estão inseridos os fatores biopsicossocial: O biológico com a alimentação saudável e os movimentos corporais harmoniosos; o psicológico com o cultivo do bem-estar; o social com a qualidade das relações interpessoais. Além da convivência com os adultos, é interessante que as crianças brinquem entre si, que dialoguem, comunguem experiências ao se tocarem e trocarem seus brinquedos. Esse comportamento interativo vai proporcionar espírito de cooperação e solidariedade para o convívio saudável com todos.

Obrigada pela leitura.